Vacinação contra Influenza

Desde que decidi colocar minhas vacinas em dia, tenho ficado cada vez mais atenta às informações a esse respeito. Das muitas das vacinas que tomei, uma delas foi a Influenza.

Pedi pra Dra. Lara Maia, médica responsável técnica da Clínica de Vacinação Imunize em Fortaleza, local que estou me vacinando e também escolhemos para vacinar os geminhos, explicar mais sobre isso pra gente.

Olha só!

imagem: idsociety.org

imagem: idsociety.org

“As vacinas contra Influenza utilizadas em nosso país até o ano passado eram trivalentes, contendo três cepas. Em 2015 as novas vacinas quadrivalentes licenciadas contemplam, além dessas três uma outra e ambas vacinas são inativadas.

Por alguns anos devemos conviver com as duas vacinas. Como no passado já tivemos vacinas monovalentes e bivalentes, a tendência com o passar dos anos é só haver produção de vacinas quadrivalentes. Em 2015, a vacina que será utilizada na Campanha de Vacinação contra a Gripe do Ministério da Saúde será a trivalente, enquanto nas clínicas privadas será disponibilizada a vacina com maior proteção.

As recomendações para as vacinas quadrivalentes são as mesmas que aquelas previstas para as vacinas trivalentes. As vacinas quadrivalentes podem ser utilizadas nas gestantes, pois as mesmas constituem grupo prioritário para a vacinação, pelo maior risco de desenvolver complicações e pela transferência de anticorpos ao bebê e proteção contra a doença nos primeiros meses de vida.

A exemplo das vacinas trivalentes, as vacinas quadrivalentes também podem ser aplicadas simultaneamente com as demais vacinas do calendário da criança, adolescente, adulto ou idoso.

Trata-se também de uma vacina inativada, portanto sem restrições de uso em populações imunocomprometidas, que tem indicação de vacinação especialmente reforçada.

É contraindicada a vacinação somente em indivíduos com reação de hipersensibilidade tipo anafilática ao ovo. Apesar de dados publicados recentemente mostrarem que mesmo pessoas extremamente alérgicas ao ovo e que não desenvolveram anafilaxia após a administração da vacina, poderão utilizar a vacina, mas nesses casos com muito cuidado, pesando sempre no risco-benefício. A regra é a mesma para as vacinas influenza tri ou quadrivalentes.

A Sociedade Brasileira de Imunização (SBIm) recomenda o uso preferencial, sempre que disponível, das vacinas quadrivalentes, pelo seu maior espectro de proteção. Porém, reforça que, na indisponibilidade do produto, a vacina trivalente deve ser utilizada de maneira rotineira, especialmente em grupos de maior risco para o desenvolvimento de formas graves da doença, mantendo a recomendação de vacinação universal.”

 

Dra. Lara Maia

Clínica de Vacinação Imunize

 

Facebook Comments
Category : Saúde
Tags :