selagem-termica-capilar.jpg

Saúde dos cabelos

Modéstia à parte, uma coisa de que sempre me orgulhei pelos elogios que recebo são meus cabelos, que são super escuros e bem lisos e brilhosos (juro, gente! eles são assim mesmo, não to me gabando! kkk) Tenho 25 anos e nunca fiz nada neles (por enquanto, os branquinhos já tão começando a surgir! #aidadetábatendo), mantendo a cor e a textura.

Desde que consigo me lembrar, sempre recebi a pergunta se são mesmo naturais, porque não é comum as pessoas manterem os cabelos assim, né? Então, depois do elogio, sempre vem a segunda pergunta que mais ouço: “o que você faz pra eles ficarem assim?”. Confesso que nunca fui de grandes cuidados, mas em compensação, além do fator genético, a alimentação sempre foi colorida e divesificada, mesmo na infância.

Como esse é um assunto que muitas perguntam lá no Instagram (@queridavidasaudavel, segue aí!), pedi pra nossa dermatologista querida e competente, a Dra. Celina Frota, vir aqui explicar um pouco mais sobre o assunto.

estrutura cabelo0003

imagem: Google

Olha só o que ela disse!

 

“Os cabelos fazem parte da estética do ser humano e são importantes para sua imagem e autoestíma. Constituem, sem dúvida, a caracteristica mais marcante e variável dos seres humanos, tornando-se ingredientes fundamentais da identidade pessoal. Estima-se que nosso couro cabeludo contenha cerca de l50.000 fios de cabelo e queda e fragilidade são queixas constantes nos consultórios dermatológicos. A compreensão de seu funcionamento é fundamental para sabermos quais tratamentos devemos seguir para reverter suas patologias.

A saúde dos cabelos depende de múltiplas variáveis, pois muitos fatores atuam na formação e crescimento dos fios. Além do estresse, de desequilibrios hormonais e de doenças genéticas, a nutrição do couro cabeludo possui papel fundamental para o bom funcionamento do folículo piloso.

Qualquer fator do organismo que reduza a síntese de proteínas repercutirá sobre o crescimento dos cabelos. Regimes radicais ou estados de desnutrição com falta de proteínas,vitaminas ou ácidos graxos essenciais aumentam o número de folículos em fase de repouso, determinando o afinamento, a perda do brilho, a interrupção do crescimento e a queda dos fios.

A reposição de vitaminas e oligoelementos tem sido indicada nos distúrbios dos cabelos, especialmente no eflúvio telógeno (queda intensa de cabelo). Evidências sobre a suplementação dietética para a saúde dos cabelos são crescentes na literatura, porém as informações ainda são limitadas.

Cada fio de cabelo é constituído por queratina, uma proteína rígida fabricada pelos queratinócitos, que se organizam em camadas, a saber: cutícula (camada mais externa), córtex e medula.

A fabricação da queratina requer aminoácidos (com alto teor de enxofre como císteína e arginina) e lipídios sob a forma de ácidos graxos, fosfolipídeos e glicolipídeos.

O ciclo capilar envolve três fases: a fase anágena (de crescimento e fabricação do fio que dura em media 5 anos), a fase catágena (de degeneração do bulbo capilar, com a parada da formação do fio, dura cerca de 3 semanas) e a fase telógena (de queda do fio e reestruturação do bulbo, dura 2 a 3 meses).

ft_ciclo_cabelo

imagem: Google

Sabe-se que alterações na nutrição ou inervação do bulbo capilar podem interromper o ciclo capilar e causar a indesejada queda dos fio. O bulbo capilar, além de vascularizado e inervado, contém receptores para hormônios e neurotransmissores. Alterações consistentes em algum desses fatores podem levar ao inicio da fase catágena, culminando com a queda volumosa dos fios simultaneamente, evento denominado efluvio telogeno.

Sabemos que uma alimentação balanceada e variada é importante para o crescimento, brilho e vitalidade dos fios de cabelo.

Alguns nutrientes são fundamentais para a síntese adequada e fortalecida da fibra capilar. Dentre os principais nutrientes que colaboram para isso estão os aminoácidos ricos em enxofre, vitaminas (como vitamina A, vitaminas do complexo B, vitamina C, vitamina E e biotina), minerais (como zinco, cobre, selênio,ferro e os ácidos graxos essenciais).

A falta de nutrientes tem repercussão sobre a síntese da fibra capilar assim como sobre seu ciclo de crescimento. Sinais clínicos de deficiência nutricional incluem teste de tração positiva, menor diâmetro dos fios, maior fragilidade, opacidade e menor elasticidade.

Os Ácidos graxos essenciais (AGE) são lipídios importantes para o funcionamento adequado de nossas células, entretanto não são sintetizados por nosso organismo. Devem ser adquiridos através da dieta e estão presentes em alimentos considerados saudáveis como peixes, óleos vegetais, oleaginosas e nos vegetais como brócolis e espinafre. Os ácidos graxos essenciais são poli-insaturados e os principais exemplos são conhecidos por ômegas 3 e 6.

A ação das substâncias antioxidantes sobre a nutrição dos cabelos possui grande importância, pois se relaciona ao bom funcionamento vascular e neuronal do bulbo capilar.

O licopeno é uma substância carotenóide, precursora da vitamina A, presente em alimentos de cor avermelhada como tomate, goiaba e morango, que possuem elevada ação antioxidante.

A suplementação equilibrada dos nutrientes possui beneficios à nutrição dos cabelos por melhorar avascularização e diminuir a microinflamação do bulbo capilar. Assim, ocorre um estímulo ao crescimento dos fios e diminuição da queda.

A ingestão de quantidades adequadas de minerais, vitaminas, aminoácidos e ácidos graxos essenciais promove a síntese da fibra capilar mais resistente e hidratada, o que confere o sensorial de maciez e brilho.

Por sua vez, os antioxidantes combatem o stress oxidativo celular e podem retardar o envelhecimento dos fios.

Alem das deficiências nutricionais, algumas patologias também podem estar relacionadas a queda de cabelo e devem ser avaliadas e investigadas por um dermatologista.”

 

Dra Celina Frota

Dermatologista

CRM 9780

RQE 5384

Facebook Comments
Category : Beleza, Saúde
Tags :