Calorias negativas

Outro dia, durante a minha viagem à Budapeste, postei no nosso Instagram (@queridavidasaudavel, segue aí!) sobre a mandarim orange – ou mini tangerina – e um conceito muito curioso, o de “calorias negativas”.

Bom, junta essas palavrinhas tão “hipnotizantes” e pronto, está aí a “fórmula mágica” que alguém desavisado e sem acompanhamento procura para chegar ao corpo dos sonhos. Será? CLARO QUE NÃO!

Trouxe aqui hoje uma matéria veiculada pela Revista Exame há algum tempo para tentar explicar melhor o que esse termo significa. Olha só:

imagem: academialions.blogspot.com

imagem: academialions.blogspot.com

“(…) Segundo a nutricionista Fabiane Alheira, esse nome foi criado porque esse tipo de comida demanda uma quantidade de energia superior ao número de calorias que apresenta.

“Por conta disso existe um déficit. Funciona como uma conta corrente, onde o saldo será negativo se o gasto for maior do que o crédito existente”, explica.

Eles não se confundem com os termogênicos, outros aliados das dietas. Estes são capazes de produzir calor ao serem digeridos e tal aumento no metabolismo deixa o corpo mais ativo para consumir mais calorias.

A especialista, no entanto, deixa claro que o gasto energético varia de pessoa para pessoa e, por isso, no caso dos alimentos com “calorias negativas”, não é possível dizer precisamente qual essa diferença entre ganho e queima de calorias. Além disso, é preciso haver mais estudos para determinar essa quantidade.

Antes de achar que essa é a saída milagrosa para enxugar o excesso de peso, a nutricionista afirma que não vale a pena fazer um regime apenas com essas comidas.

“Nosso organismo necessita de um equilíbrio entre os macronutrientes e os micronutrientes, e, portanto, há necessidade diária de carboidrato, proteína e gordura, sim!”, diz. Confira a seguir alguns exemplos que fazem parte desse grupo e conferem muitos outros benefícios.”

————

Bioquimicamente falando,  é devido ao efeito térmico do próprio alimento, que demanda energia para ser metabolizado, que esse alimento acaba “gastando” mais calorias do que o que tem de fato em sua composição.

De forma simples e clara, a nutricionista Fabiane Alheira faz o alerta que também gostaríamos de fazer: nosso organismo NECESSITA de uma dieta variada e balanceada para funcionar corretamente, e não apenas de frutas, legumes e verduras, por exemplo. Esses alimentos devem ser adicionados à rotina alimentar e nunca, jamais, substituir ou compor uma dieta restritiva.

Alguns alimentos de “calorias negativas” são melancia, alface, abobrinha, pepino, couve, damasco, berinjela, maçã, mandarim orange, entre outros.

 

Entenderam? Tenham sempre que possível acompanhamento nutricional. Sua saúde agradece!

Facebook Comments
Category : Alimentação
Tags :